Staging - Sistema FAEP/SENAR-PR

Com a crise, especialista orienta deixar a mandioca embaixo da terra

Com manejo adequado a raiz pode ficar até 4 anos no solo. Enquanto mercado não reage, produtor busca alternativa na lavoura

Produtores de mandioca da região noroeste do Paraná estão preocupados com a colheita porque o preço da raiz está baixo. Técnicos da Emater garantem que com adubação e podas certas a mandioca pode ficar até 4 anos na terra. Uma saída para ajudar os agricultores a não ter tanto prejuízo enquanto o valor da cultura não sobe. Mas a técnica ainda é pouco usada.

“Tem muitos produtores que não conhecem esse tipo de técnica. Alguns optam por fazer a segunda pode para ver se pega um preço melhor na cultura”, diz Sebastião Silvério Cândido, extencionista da Emater.

A segunda pode dá um fôlego ao produtor rural. Mas é preciso fazer o manejo certo. A pode é para evitar que o mato tome conta da plantação e prejudique a produtividade da raiz. Sebastião Silvério Cândido ainda explica que em qualquer situação o ideal é fazer uma poda na cultura antes da primeira colheita para o rendimento aumentar. No segundo ciclo, geralmente, a produtividade aumenta. Atualmente, com o preço despencando, mesmo no segundo ciclo não está compensando arrancar a mandioca.

Fonte: G1 PR

André Amorim

Jornalista desde 2002 com passagem por blog, jornal impresso, revistas, e assessoria política e institucional. Desde 2013 acompanhando de perto o agronegócio paranaense, mais recentemente como host habitual do podcast Boletim no Rádio.

Comentar

Boletim no Rádio

Galeria | Flickr

  • AX4A2022
  • AX4A2020
  • AX4A2016
  • AX4A2014
  • AX4A2015
  • AX4A2010
  • AX4A2011
  • AX4A2008
  • AX6A2625

Boletim no Rádio